27 de fev de 2016

Licença paternidade

O que seria de nós...
 
Não lembro que conexões o assunto fez para chegar até a lei em trâmite que muda a licença paternidade, durante aula de Teoria da Complexidade do mestrado. Tocou-se no assunto, alguém perguntou se estava sendo estendida para vinte ou trinta dias, e uma das colegas já manifestou sua contrariedade rapidamente:

- Acho desnecessário!

A conversa seguiu pouco tempo, um pouco polêmica, com quase todo mundo falando e dando opinião. Nesta eu estava calado. Tinha os que diziam que deveria ser 30 dias, outros que deveria ser 20, a menina sustentando que não precisava disso, teve também quem dissesse que o ideal seria ser pelo mesmo período que a licença maternidade. Uma outra colega interveio:

- Se nos primeiros 30 dias, além do meu filho, meu marido ficasse em casa me dando trabalho, eu não ia agüentar!

Alguns risos soltos, umas caras de surpresa, outros risos tensos, e a conversa acabou.

Nenhum comentário: