6 de jun de 2014

Texto da mãe.

Davi, Luca, chuva e tal.
(Texto de minha mãe, que não em blogue, e fica enviando e-mails para todos da lista.)

Levantam, um dengoso e um bicudo. Se arrastam pela casa de manhã, com preguiça de comer, de vestir, de escovar os dentes. Assistem desenho na TV bem enroscadinhos um no outro deitados no sofá. Umas nove horas começam a entrar as vozes dos amigos pela janela. Eles então começam a despertar de verdade. Se agitam e daqui a pouco estão avisando que vão descer. Escovaram os dentes? Não. Vão escovar. Pelas janelas eu ouço as conversas. Todos papos dignos de nota. A minha memória não retém nada, tudo se perde, mas fica o sentimento de que eles são demais!

Hoje bateu um vento forte de repente. Fui à janela ver onde estavam porque ia chover. Não os vi em lugar nenhum. Adultos e crianças corriam para seus prédios e nada dos meus meninos. Aí comecei a adorar a ventania. Abri mais a janela, estiquei o corpo para a frente e continuei olhando em todas as direções. A chuva ia ser forte e eles estão gripados.

Lá estavam eles! Subiram no muro da frente do condomínio, seguraram as mãozinhas na grade que tem sobre o muro e, com o corpo encurvado pela força do vento, gritam como se estivessem voando... Consigo chamar a atenção deles e ordeno aos gritos que venham porque vai chover. Não está chovendo! - Davi grita de lá. Foi só ele falar a chuva começou e em um instante estava forte. Vieram correndo, empurrados pelo vento forte, se molhando, com os braços abertos, Davi gritando:

- O furacão dos Estados Unidos chegou no Brasil!!

E Luca logo atrás:

- O furacão dos Estados Unidos chegou no Brasil!
!
[]´s
(Ôs figurinhas! :)

Um comentário:

Renata Moreira disse...

Gostei do seu blog estilo diário kkkkkk muito legal! Também tenho um, não é diário kkkkk escrevo contos, https://contostory.blogspot.com.br , passa por lá qualquer dia desses. Abraços :)