9 de jan de 2011

Comida, aquilo...

I can't get no...
Num bifê que eu freqüento há, abaixo da balança, uma velha etiqueta esquecida que anuncia “Tara do Prato:”. Depois dos dois pontos é papel em branco – espaço para a idéia.
Minha imaginação previsível completa sempre com a especificação da tara do prato.
“Tara do Prato: me preencha, me lambuze, sirva-se em mim, me use, me lamba, até babe!, se enfastie, e depois, suavemente, me dê um banho... Ahhh!”
 
Um prato deveras tarado...